7 Outubro 2020

4 dicas para colocar a LGPD em prática no setor de TI

 

como-colocar-lgpd-em-pratica-no-ti

Com a transformação digital, cresceu a necessidade de proteger dados pessoais e garantir maior segurança para os usuários, o que deu surgimento à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que já está em vigor.

O seu departamento de TI já se adaptou ao novo cenário?

Para ajudar você nessa, preparamos algumas dicas para você alinhar seus processos às diretrizes da legislação. Continue lendo para saber como colocar a LGPD em prática no setor de TI da sua empresa!

     1. Conte com apoio jurídico 

Como estamos falando de uma nova lei que entrará em vigor, as empresas precisam contar com apoio jurídico para evitar cometer falhas e descumprir a lei, mesmo sem querer. Por isso, é preciso contar com apoio jurídico, já que um especialista em direito vai saber quais protocolos o setor de TI tem que seguir para estar dentro da LGPD e poderá auxiliar sua empresa nesse desafio.

Lembre-se que descumprimento da lei pode gerar multas financeiras, além de fazer com que as empresas percam credibilidade. Por isso, é importante garantir que as diretrizes da lei sejam seguidas em todas as áreas da empresa, afinal, diversos departamentos serão afetados e não apenas o de TI. A partir disso, o próximo passo é conscientizar a equipe para evitar  possíveis erros.  

     2. Prepare sua equipe

O apoio jurídico pode ajudar na preparação do time em relação à LGPD, mas, além disso, é importante qualificar os profissionais para evitar que eles descumpram a lei, mesmo que sem intenção. As equipes que lidam direta ou indiretamente com os dados dos usuários precisam ser informadas sobre o que pode e não pode ser feito. 

Com a nova legislação, o cliente precisa autorizar o tratamento dos seus dados pessoais e isso não pode, de forma alguma, ser negligenciado pelo time. O ideal é mostrar aos profissionais não apenas o que deve mudar nos processos, como também quais são as consequências de não seguir a LGPD. 

Vale fazer treinamentos com os times, assim como disponibilizar um conteúdo didático sobre o assunto e até aplicar um teste para garantir que todos estão na mesma página em relação às novas diretrizes. 

     3. Delegue responsabilidades ao DPO

A transformação digital também criou novos tipos de responsabilidades e funções. Nesse cenário da LGPD, destaca-se a figura do DPO, que significa Data Protection Officer ou Gestor de Proteção de Dados.  

Como o nome sugere, o DPO é o encarregado por garantir o cumprimento da lei e assegurar a privacidade dos dados dos usuários, bem como a transparência da relação entre empresa e cliente. Sua principal função é fazer a intermediação entre os usuários, a empresa e os órgãos fiscalizadores. 

Ele também é o responsável por receber as reclamações dos clientes e dar um retorno sobre as solicitações que envolvam a proteção de dados.  Além disso, o DPO deve atuar na qualificação dos times para garantir que a LGPD seja cumprida na empresa. 

     4. Alinhe processos à nova legislação

Um dos passos mais importante para colocar o LGPD em prática é alinhar os processos de acordo com o que a nova lei preconiza. Isso envolve não somente o departamento de TI, mas todos aqueles que lidam com os dados dos usuários. 

Além disso, é importante ter um planejamento para que implementação da LGPD funcione na empresa. Afinal, deixar tudo para a última hora pode fazer com que alguns protocolos não sejam seguidos e que dados fiquem sem a proteção necessária. 

Por isso, o recomendado é montar um cronograma que envolva a mudança de processos e demais alterações nos sistemas de gestão utilizados pelo negócio. Nesta etapa, garanta que apenas os profissionais autorizados tenham acesso aos dados para evitar vazamentos.

Lembre-se de que os usuários devem autorizar o tratamento de seus dados pessoais, especialmente das informações sensíveis, que recebem ainda mais atenção da LGPD. Por isso, na hora de alinhar os processos, é essencial rever as políticas de segurança da empresa e fazer as adaptações necessárias. 

Nada pode passar nesse caso. Por isso, é tão importante se preparar com antecedência e evitar erros desnecessários, mas que podem ser extremamente prejudiciais para o negócio.  

Tudo pronto?

Seguindo todas essas medidas para se adequar à nova lei, você protege a sua empresa e os profissionais envolvidos, além, claro, dos usuários donos dos dados.

A transformação digital ainda vai trazer muitas mudanças para o futuro e a LGPD é apenas um reflexo da maior preocupação em relação aos dados que a tecnologia é capaz de tratar. 

Quer saber mais sobre a nova lei? Baixe já nosso whitepaper sobre como estar em conformidade com a LGPD no service desk.

Adequar meu service desk à LGPD

Comments

Stay Updated on Blog Content

Posts by Topic

see all

Share this blog:

Want to know what is coming up?

Visit our roadmap!