7 Maio 2020

4 dicas para melhorar os relatórios do seu service desk

relatorio-service-desk

Apesar de todos os dados que um gerente de uma central de serviço de TI têm na ponta dos dedos, a maioria não consegue responder facilmente a uma pergunta muito básica: como está a organização do suporte?

E, em alguns casos, é ainda pior. Muitos profissionais simplesmente desconhecem o papel crítico - além da mera medição - de que os principais indicadores de desempenho (KPIs) podem e devem desempenhar na otimização dos serviços. 

Neste post vamos falar mais sobre este assunto. Continue a leitura e conheça 4 dicas certeiras para turbinar a sua central de serviços TI!

O 'poder' dos relatórios para o service desk

Criar relatórios eficazes faz parte de práticas essenciais para o ITSM. Inclusive o ITIL 4 incluiu práticas que podem ajudar a identificar problemas na complexidade de processos, por exemplo. Porém, muitas vezes, são tantos os relatórios no service desk que alguns passam despercebidos e não são analisados.

Os KPIs, na verdade, são uma medida de desempenho que permite que as organizações obtenham informações sobre muitos fatores relevantes como a eficácia e a eficiência de seus processos. A principal função deles é, na verdade, ajudar as empresas a descobrir melhores maneiras de gerenciar e otimizar suas operações internas.

Portanto é de extrema importância investir tempo tanto na criação como na análise destes indicadores de desempenho.

Mas não é fácil começar a medi-los. Confira, abaixo, 4 dicas que vão ajudar a otimizar o processo de relatórios em uma central de serviços de TI:

 

1- Medir e relatar apenas o necessário

Uma estratégia coerente para o controle de processos não apenas ajuda a avaliar se os objetivos desejados são alcançados. Ela também traz benefícios a longo prazo à medida em que fornece os dados necessários para uma melhoria contínua.

Mas é preciso ter cuidado!!!


«Os relatórios no service desk não devem ter como objetivo gerar grande arsenal de KPIs. Adotar uma prática muito complexa cria uma quantidade desproporcional de esforço»


E as consequências são catastróficas: pouca aceitação, resistência, dificuldade de apuração dos dados necessários e, após um curto período, o abandono das práticas. 

O ideal é medir pouco e apenas o que é realmente necessário. E, caso realmente seja necessário aumentar o número de KPIs, implantá-los aos poucos.

 

2- Manter relatórios simples de desempenho

Muitos já devem ter ouvido o sábio conselho: "Você não pode gerenciar o que não mede". Isso é particularmente verdadeiro em uma central de serviços de TI, onde a medição eficaz do desempenho não é apenas uma necessidade, mas um pré-requisito para uma tomada de decisão eficaz. 

E há diversas maneiras de medir tanto o desempenho de um colaborador como do setor todo. A decisão mais inteligente é, sem dúvidas, optar pelo 'menos é mais'. Querer detalhar demais um relatório também é um passo para que ele seja deixado de lado em pouco tempo pela dificuldade de apuração.   

Dica: O gerenciamento de TI deve se dar conta de que o uso de KPIs serve ao objetivo de melhorar os processos, não à penalização dos colaboradores. Caso contrário poderia haver o perigo de os participantes desenvolverem estratégias para ajustar as estatísticas a seu favor. E isso, na verdade, seria contrário aos interesses da organização como um todo.

 

3- Criar relatórios personalizados
 

Uma central de serviços de TI sem indicadores é igual a um avião que faz um vôo sem instrumentos. Ele até pode chegar ao destino, mas a chance de passar dificuldades durante o trajeto é bem grande.

Dessa maneira é muito importante escolher quais os KPIs serão medidos. E o mais importante: eles precisam atender perfeitamente às necessidades da sua organização! 

Se as métricas pré-existentes não se adequam à sua realidade, vá além e crie as suas próprias. É mais do que importante que os relatórios do service desk sejam personalizados.

Isso vale também na adaptação da maneira como cada KPI é apresentada. Pense que os dados que interessam aos gestores financeiros são diferentes dos que são importantes para os responsáveis pelo RH, por exemplo. 

O primeiro pode querer saber do custo médio de cada atendimento, enquanto o segundo prefere o tempo médio de cada atendimento por colaborador. É preciso então adaptar e enviar os relatórios de maneira individual e também personalizada. 

 

4- Análise e revisão frequente dos relatórios do service desk

 

O mercado de TI muda constantemente, como também as necessidades de seus clientes. Por esse motivo as metas para os KPIs, especialmente na fase inicial após a introdução de novos processos, devem ser revisadas em intervalos regulares. 

Não aceite o mais do mesmo como regra! Toda vez que for necessário (ou pedido) reflita, pese e mude.


Quer conhecer, na prática, como construir os melhores e mais assertivos relatórios para a sua central de serviços de TI? Então não deixe de baixar, agora mesmo, o ebook "Service Desk: Como relatórios ajudam na Gestão de Chamados".

rodape-ebook-gestao-chamados

Boa Leitura!

Comments

Stay Updated on Blog Content

Posts by Topic

see all

Share this blog:

Want to know what is coming up?

Visit our roadmap!