22 Outubro 2020

Transformação Digital: O que é Open Banking?

como-funciona-open-banking

Com a transformação digital, um dos conceitos popularizados no setor financeiro é o Open Banking, que vem para revolucionar o mercado e promete causar impactos significativos. 

Mas o que você sabe sobre ele?

Para ajudar você nessa, vamos explicar o que é Open Banking, seus benefícios e como ele está sendo colocado em prática. Continue lendo para descobrir! 

O que é Open Banking?

Open Banking diz respeito a um sistema bancário aberto cujo objetivo é aumentar a autonomia do cliente, oferecendo mais alternativas financeiras para ele. Ele é baseado em uma tecnologia padrão que permite que o usuário compartilhe seus dados com outras instituições sem burocracia. 

Esse processo se dá por meio das integrações de APIs abertas e seguras. Na prática, todas as instituições teriam essas APIs, com liberdade para criarem os produtos que desejarem. 

É o usuário quem autoriza o compartilhamento das suas informações, tendo maior controle sobre elas. Com isso, outras instituições também podem ter acesso a essa base de dados. 

Quais são os benefícios do Open Banking?

1) Mais autonomia e menos burocracia

Além da portabilidade de dados, o Open Banking traz diversos benefícios para os usuários. Entre eles, destaca-se a autonomia para os clientes. Como o Open Banking diminui significativamente a burocracia das operações financeiras das instituições tradicionais, os usuários têm mais liberdade de migrar de serviços. Afinal, seus dados não serão perdidos durante esse processo e, por isso, ele não se vê preso a uma única instituição.

 

2) Aumento na transparência

Com o Open Banking, os clientes não precisam usar as ferramentas do banco para movimentar suas contas e constroem uma relação de maior transparência com as instituições. 

 

3) Aumento das possibilidades de produtos e serviços

Com isso, a competitividade entre as instituições aumenta e a tendência é que elas se preocupem em oferecer uma melhor experiência para o cliente para se diferenciarem.

 

4) Processos mais rápidos

Por conta das APIs abertas, o Open Banking promete oferecer processos mais rápidos e reduzir custos

 

5) Usabilidade

Na prática, o sistema pode ser aplicado de diversas formas que beneficiam os usuários. Os cliente podem, por exemplo, acessar várias contas de diferentes instituições financeiras usando apenas uma ferramenta. 

O que vai mudar com o Open Banking? 

Nos sistemas bancários tradicionais, quando o cliente cria um histórico de crédito com determinada instituição financeira, em certa medida, ele fica preso à ela. Isso porque, na migração para outro banco, os dados nem sempre são transferidos em sua totalidade. 

No caso do Open Banking isso não acontece, já que o usuário consegue mobilizar essas informações quando quiser, inclusive, na mudança para outra instituição de sua preferência. Assim, o novo sistema elimina a burocracia do processo que existe atualmente. 

Além disso, com o Open Banking, as instituições também vão conseguir oferecer experiência mais personalizadas para os usuários, porque já terão acesso às informações desses clientes, como empréstimos e perfil de consumo ou de investimento, por exemplo. 

Hoje, como os dados ficam concentrados nas mãos das instituições financeiras, quando o cliente muda para outra, o novo banco demora mais para entender quem é esse usuário e isso pode prejudicar a experiência dele. 

Com a chegada do Open Banking, as instituições se baseiam no histórico do cliente para oferecer crédito e taxas de juros de acordo com o perfil dele, além de poder desenvolver serviços personalizados.  

Assim, o Open Banking vai obrigar as instituições a reverem seus modelos de funcionamento para se adaptarem à nova realidade trazida pela transformação digital. Isso significa, inclusive, compartilhar os dados dos usuários por meio de APIs caso os clientes peçam por isso. 

Open Banking no Brasil 

O Open Banking ainda não foi totalmente estabelecido no Brasil, mas o Banco Central já aprovou um cronograma que prevê quatro etapas para a implementação. A primeira começa já em novembro deste ano. Estima-se que em outubro de 2021 o processo seja finalizado. 

Em território nacional, há algumas iniciativas que já estão em funcionamento, mas não envolvem transações financeiras e estão a cargo dos interesses das instituições financeiras. Um exemplo é a parceira estabelecida entre o Banco do Brasil e a ContaAzul, que permite a integração dos dados bancários dos usuários ao sistema de gestão da marca. 

As fintechs também devem se mobilizar para adotar o sistema Open Banking, já que é um modelo menos burocrático e alinhado às inovações tecnológicas

E você, o que pensa sobre o Open Banking?

Se gostou deste conteúdo, leia também este nosso artigo sobre transformação digital: Transformação digital no setor financeiro: você está preparado?

Comments

Stay Updated on Blog Content

Posts by Topic

see all

Share this blog:

Want to know what is coming up?

Visit our roadmap!